Arquidiocese de Maceió | Igreja Missionária e Samaritana

Arquidiocese de Maceió | Igreja Missionária e Samaritana

Notícias / Arquidiocese

06/04/2012 18h00

Catedral de Maceió ficou lotada na Celebração da Paixão do Senhor

Celebração litúrgica foi presidida por D. Antônio Muniz Fernandes

Da Redação
Celebração da Paixão e Morte do Senhor

O Arcebispo de Maceió presidiu a Celebração da Paixão do Senhor na tarde desta Sexta-feira Santa (06), na Catedral de Nossa Senhora dos Prazeres. Fiéis lotaram a Catedral para a celebração liturgia da Sexta-Feira da Paixão do Senhor.
A Igreja não chora a Cruz de Jesus, pois Ele já ressuscitou. A Igreja chora o sofrimento de tantos irmãos que são marginalizados e precisam de um Cirineu para ajudar a carregar a sua Cruz. De tantos irmãos que são desamparados e estão largados pelas ruas.
Precisamos lutar e proteger os nossos pobres que são mortos, esquecidos e tratados com desdém. Ressaltou D. Antônio em sua homilia.

Terminada a Celebração da Paixão do Senhor aconteceu a Procissão do Senhor Morto, que percorreu diversas ruas do Centro de Maceió com as imagens do Senhor Morto e de Nossa Senhora das Dores; um momento penitencial de fé que relembrou o sofrimento de Cristo até sua morte no calvário.

Este ano, fiéis ofertaram calçados e roupas aos pobres das instituições de caridades amparadas pela Arquidiocese de Maceió. Um pedido que foi feito pelo Arcebispo na Missa do Crisma, celebrada na última quarta-feira.

Com a chegada da procissão, D. Antônio Muniz abençoou o Povo de Deus e a Catedral ficou aberta para receber o povo de Deus para o beijo da Imagem do Senhor Morto.

A celebração litúrgica da Paixão do Senhor
Neste dia Igreja não celebra a Santa Missa. Os altares estão despidos, desde a celebração da Ceia do Senhor. A Igreja está sem cruzes e sem candelabros.
A celebração da Paixão do Senhor acontece normalmente por volta das 15 horas, para lembrar a hora em que Jesus morreu na Cruz. É um dia em que os cristãos contemplam a desonrosa morte de Jesus, em sua entrega voluntária na Cruz. O Evangelho de João narrado durante a celebração litúrgica da palavra mostra o caminho que foi feito seguido por Jesus, desde a prisão no Monte ao lado da torrente do Cédron, passando pelo Pretório de Pilatos até ao Calvário quando foi crucificado e morreu.
A celebração da Paixão do Senhor acontece em três momentos: liturgia da palavra, adoração da cruz e sagrada comunhão. O Celebrante principal e os ministros sagrados, se revestem de paramentos vermelhos para lembrar o sangue derramado por Jesus em seu martírio. Concluída a celebração a Cruz fica exposta à adoração dos fiéis.
A Procissão do Senhor Morto não faz parte da celebração litúrgica desse dia, é uma tradição herdada dos portugueses e espanhóis que introduziram no continente Latino Americano essa devoção popular de caminhar de forma penitencial contemplando a morte de Jesus. Em Roma nesse dia o Papa não faz a procissão do Senhor Morto, mas reza a via-sacra.
 

Audios

Ouça a homilia da Paixão e Morte do Senhor

D. Antônio Muniz, 06 de abril 2012, Catedral de Maceió

Palavras finais após a procissão do Senhor Morto

D. Antônio Muniz, 06 de abril de 2012, Catedral de Maceió

Sem comentários! Seja o primeiro!!!
Deixe seu comentário

ARQUIDIOCESE DE MACEIÓ | Igreja Missionária e Samaritana

Pastoral da Comunicação Av. Dom Antônio Brandão, 559 – Farol 57051-190 Maceió – AL